CSJT abre inscrições para 2º Concurso Nacional da Magistratura do Trabalho

Ao todo, serão 300 vagas em todo o país. Inscrições podem ser feitas até 15 de fevereiro

09/01/2023 13h01, atualizada em 09/01/2023 13h37
TST

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) publicou na sexta-feira (6/1), no Diário Eletrônico da Justiça do Trabalho (DEJT), o edital de abertura do 2º Concurso Público Nacional Unificado para Ingresso na Carreira da Magistratura do Trabalho. Ao todo, serão ofertadas 300 vagas para o cargo de juíz (a) do Trabalho substituto (a) em todo o país, com subsídio para o cargo de R$ 32.004,65. 

As inscrições podem ser feitas a partir das 16h desta segunda-feira (9/1) até 15 de fevereiro, via internet. O valor da taxa de inscrição é de R$ 320. Entre as exigências, a candidata ou o candidato deve ser bacharel em Direito e ter exercido atividade jurídica pelo período mínimo de três anos, contados a partir da obtenção do grau de bacharel.

Provas e etapas

A prova objetiva seletiva está prevista para 14 de maio e será aplicada nas 24 cidades sedes dos TRTs. As demais provas e etapas do concurso serão realizadas em Brasília, no edifício-sede do Tribunal Superior do Trabalho e do CSJT.

Além da prova objetiva, o certame terá provas escritas, prova oral e avaliação de títulos. Na prova objetiva, serão 100 questões, dividas em três blocos:

Bloco I (40 questões)

  • Direito Individual e Coletivo do Trabalho
  • Direito Administrativo
  • Direito Penal


Bloco II (30 questões)

  • Direito Processual do Trabalho
  • Direito Constitucional
  • Direito Constitucional do Trabalho
  • Direito Civil
  • Direito da Criança, do Adolescente e do Jovem 


Bloco III (30 questões)

Organização do concurso

O concurso é realizado pelo CSJT e conta com a adesão de todos os 24 TRTs. O certame será coordenado pela Comissão Executiva Nacional, com o apoio das Comissões Examinadoras, e a assessoria da Fundação Getúlio Vargas (FGV), na prestação de serviços técnicos especializados, referentes às cinco etapas do concurso.

Texto: (Secom/TST)

Leia Também: